Visite
Ajoutez à vos favoris
Recommandez LB
o Louvre com a Bíblia
default.titre
default.titre
Subscreva à Newsletter !
www.louvrebible.org
Antiga Mesopotâmia
Mesopotâmia
Assíria Nínive
Arslan Tash, Barsip Til
Palácio de Dario, o Irã
Phoenicia Arábia Palmyra
Síria costeira
Ugarit Byblos




      Inscripção grega do

      Templo de Herodes 
 

      AO 5032

      Não exposto


     Esta inscrição, cujo um molde se encontra no Louvre, estava situada
no recinto do Templo de Herodes,
em Jerusalém.

 
Ela proibia aos  gentios  o acesso aos pátios que  eram abertos apenas para os adoradores  judeus sanctificados (Efésios 2:14, nota). Segundo a Mishna (Middot II, 3), esta cerca de 1,3 metros chamava-se Soreg.

Por cima do muro encontrava-se o aviso em latim e em grego: " É proibido a todo estrangeiro de ultrapassar a barreira e de penetrar no recinto do santuário. Quem for apanhado, será responsável pela morte que sobrevirá. "

 Inscripcão Templo de Herodes e Soreg

Este texto esclarece  uma cena do livro dos Actos (21:27-29). Os Judeus da Ásia acusavam o apóstolo Paulo, de  ter feito  "entrar  os gregos no templo e [...]  aviltado o santo lugar ."

Mas sobretudo, ele permite melhor compreender a alusão
feita em Efésios 2.14.
 

Maquette do Segundo Templo de Jerusalém
Museu de Israel em Jerusalém

 
No contexto, o apóstolo diz que o 'muro intermediário' representa a antiga separação legal entre judeus e gentios, consequência da aliança da Lei concluida com Moisés.

Aliança que a morte de Cristo aboliu (Colossenses 2:13-15) permitindo  aos"dois povos um [livre] acesso junto do  Pai».
 
  Esta inscripção permite também melhor compreender  as palavras de Pilatos
sobre Jesus:


" Tomai-o vós mesmos e pregai-o numa estaca " (João 19:6).

Esta afirmação parece contradizer o que os judeus haviam dito antes: " Não nos é permitido matar alguém " (João 18:31).

Observe a localização da cerca ou Soreg.

In TMN, 1995, apêndice G
 
O historiador Flavius Josèphe, testemunha ocular do assalto romano contra Jerusalém no ano 70, reproduz  estas palavras do general Tito: " Não foram vôces que intercalaram as estelas gravadas, proclamando que ninguém deveria ultrapassar este parapeito? Será que não demo-vos  permissão para matar aqueles que o ultrapassassem ? ”

Assim, mesmo se os romanos não autorizavam  os judeus a  recorrer  a pena de morte para punir delitos civís, eles deram-lhes esse direito, ao que parece, para punir os crimes religiosos graves; e este foi o caso de Jesus .
 
 Musée Archéologique Istambul

 
 

 





Carte Chronologie Début du départementSceau cylindre de roi prêtreAntiquités EgyptiennesAntiquités Romaines Haut de page