Visite
Ajoutez à vos favoris
Recommandez LB
o Louvre com a Bíblia
default.titre
default.titre
Subscreva à Newsletter !
www.louvrebible.org
Une visite
de trois départements
du Louvre
En vingt trois étapes




 

Calendário do zodíaco

 
AO 6448
 
Richelieu sala 3 vitrine 15 (27)
 
  
 

Esta tabuinha pertencia a uma
obra em doze volumes,
cada um estudando um
sinal do zodíaco.

 
O reverso mostra uma mulher segurando um esporão; é a constelação do sillon (Virgem). No centro uma estrela com oito ramos é identificada por sua inscrição, é o planeta Mercúrio. A esquerda a constelação do corvo. O pássaro debica a ponta da cauda da Hidra, pertencente ao sinal anterior. Notamos a divisão em doze casas, cada uma correspondendo a um mês do ano.

  Zodíaco, Babilônia por volta de 2100 A.C.

Há forte evidência de que o zodíaco foi formado em Babilônia por volta de 2100 A.C. […]
 
Várias das figuras das antigas constelações têm notável caráter babilônico, e quase todas podem ser explicadas pela mitologia babilônica. Morris Jastrow
 

A astrologia ocidental

provém diretamente

das práticas religiosas babilônicas.

 
A astrologia ocupou muito cedo um lugar importante na adoração e na arte da adivinhação. O sol, a lua e os planetas são considerados os lares dos deuses. Identificava-se o planeta Júpiter com Marduque, Venus com Ishtar, Saturno com Ninourta, Mercúrio com nebo, Março com Nergal. Os sacerdotes, mais tarde chamados mathematici, acreditavam que a exata interpretação dos movimentos destes corpos celestes iria revelar-lhes as intenções dos deuses.

A astrologia ocidental provém diretamente
das práticas religiosas babilônicas

"A adivinhação 'por escrito' é tipicamente mesopotâmica, e temos inúmeros vestígios dela, [...]". desde o início do segundo milênio. Apenas os adivinhos profisionais conheciam o código divinatório, que eram chamados de bârû: 'os comentadores',
 
porque seu papel era de examinar os eventos ou objetos anormais e inesperados para decifrá-los e ler partes do futuro que os deuses tinham registrado lá." Jean Bottéro
 
Nos dias do profeta Daniel, ela estava tão espalhada na Caldéia (Babilônia) que o termo "Caldeus" é quase sinônimo "de astrólogos" (Daniel 4:7; 5:7, 11).
 
Daniel foi testemunha da incapacidade destes ‘sacerdotes-magos' em prever a queda da Babilônia.
 
Observe que Isaías 47:13 anunciou com dois séculos de antecedência com uma ponta de ironia:
 

Desde a sua origem, a astrologia esta relacionada com a religião

 

  "Fatigaste-te em consultar os astrólogos. Que os astrólogos se apresentem e ajudem! Eles estudam o céu e ficam olhando para as estrelas."

 
Isaías 47:13, 14 BFC. 
 
   
A pregação de São Paulo
em Éfeso
 
Inv 8020
 
 
O SUOR
 
Sully 2e sala 19
 
 
 
 
Cada 1ero de Maio,
a corporação dos ourives de Paris oferecia uma grande pintura à Catedral de Notre Dame de Paris.
 
 
Esta obra-prima é a mais famosa.
 
A astrologia ocidental provém diretamente das práticas religiosas babilônicas. Será que era para os cristãos ?
 
Os primeiros discípulos de Éfeso não queriam ter qualquer contato com esta arte. Lemos que "um número considerável dos qu e haviam praticado artes mágicas trouxeram os seus livros e os queimaram diante de todos." - Atos dos Apóstolos 19:19.
 
 
 
 
 
 
 
 

 




Haut de page